Top 5 {x2=10} – Autores Contemporâneos [BEDA #9]

Chegamos ao segundo domingo de abril e isso significa que é dia de blogagem coletiva! O tema de hoje é autores contemporâneos, que, aqui vão ser considerados os autores que queremos que todos leiam e ainda estão VIVOS. Sei que tem alguns recortes de tempo diferentes para ser considerado contemporâneo, mas como a gente reconhece com frequência muitos escritores que não estão mais entre nós era justo trazer alguns que ainda estão aí prontos para escrever mais textos para nós, leitores ávidos. A listinha de hoje não tem limite, vale autor nacional e estrangeiro. Vambora!

Paulo

Mario Vargas Llosa

Vou começar falando sobre um dos autores que mais respeito da atualidade, li alguns contos dele, e tenho todos os seus livros na minha lista de leitura. Ai você deve estar se perguntando “Como assim, o Paulo não leu nenhum livro do Llosa e o colocou aqui na lista?”. Sim. Eu ainda não li nenhum livro dele, mas li praticamente todas as suas críticas, e principalmente eu li quase todos os seus artigos sobre a arte de escrever. Um dos meus grandes influenciadores sobre como se lê um livro de forma crítica imparcial e de como se escrever para jogar a alma no papel. Então, caso você conheça o Mario Vargas Llosa, peruano com cidadania espanhola, eu aconselho que corra para conhecer.

Diego Morais

Toda vez que eu penso em poesia e lirismo contemporâneo eu penso no livro “Meu coração é um bar vazio tocando Belchior” do poeta Diego Moraes. Ele me apresentou uma forma de tratar o lirismo que eu pensei que não seria mais capaz de vez na atualidade, sempre pensei que a poética mais direta, suja e que convive com sarjeta haviam morrido com o Paulo Leminski. Sem contar toda a história de vida do Diego Moraes, toda a sua visão sobre o mundo e a nossa realidade, eu simplesmente me deixei ser levado pelo seu poder de ordenar as palavras. Vale ressaltar também, que este ilustre morador de Manaus é um dos idealizadores do Flipobre.

Ana Paula Maia

Se teve uma autora que me arrebatou com um livro que fala sobre o ser que é o ser humano, essa autora foi a Ana Paula Maia com o seu livro “Entre rinhas de cachorros e porcos abatidos”. Eu abati esse livro em uma semana com a mesma ferocidade com que os seus personagens agem. Com a Ana Paula Maia, eu aprendi que literatura pode falar sobre tudo. Quebrei muitos tabus meus sobre assuntos que eu achava que não deveriam ser falados, mas que graças ao trabalho desta grande autora brasileira que merce todo o reconhecimento possível.

Liliana Bodoc

Sabe uma grande surpresa que eu tive no ano passado dentro da literatura fantástica? Foi com essa grande argentina que escreveu o livro de fantasia “Os dias do Cervo” primeiro volume da trilogia “A saga dos Confins”. Eu descobri o ebook deste livro por acaso e o peguei para ler, sem ter nenhuma noção de quem era a autora ou nada da história, e simplesmente eu devorei o livro em pouco mais de duas semanas. Agora preciso terminar essa trilogia que é simplesmente envolvente e sensacional, em trabalha de primeira qualidade para os amantes da literatura de fantasia.

Renata Ventura

Eu queria terminar essa lista com uma autora brasileira que simplesmente me cativou. Ela escreveu uma história sobre uma escola de magia e bruxaria que existe na cidade do Rio de Janeiro, e assim somos apresentados ao Hugo Escarlate. Eu tenho que ser sincero com vocês, em um primeiro momento eu senti um pouco de preconceito por se tratar meio que uma fanfic da saga de Harry Potter, mas caramba, que baita autora é a Renata Ventura, ela simplesmente mostrou que é uma das maiores autoras contemporâneas voltada para a literatura infanto-juvenil.

Ana

Carlos Ruiz Zafón

Recentemente declarei meu amor por Carlos Ruiz Zafón, autor espanhol que mora no meu coração mesmo que eu tenha lido apenas um de seus livros, A Sombra do Vento. Ainda quero ler os outros que completam a série do Cemitério dos Livros Esquecidos e os que são únicos e em breve chego lá, mas um livro já foi suficiente para selar a nossa relação. Se você ler esse post vai saber tudo sobre essa série, cujo último livro chega ao Brasil ainda esse ano então não vou falar muito sobre isso aqui de novo para não ficar repetitivo. Ele ainda escreveu outros livros Marina, As Luzes de Setembro, O Príncipe da Névoa e O Palácio da Meia Noite, todos são livros únicos e não fazem parte do universo do Cemitério. Daí você já pode ver o tamanho do meu problema, né?! Tenho muito o que ler dele ainda (Hahahahaha). Se você ainda não conhece esse cara, só escolhe um e vem comigo!

Chimanda Adichie Ngozi

Não podia deixá-la de fora, minha relação com ela ainda é bem recente. Li o primeiro livro dela mês passado e não foi um romance, foi o Para Educar Crianças Feministas que é uma carta que ela escreveu a uma amiga. Eu adorei o livro e a escrita simples e estou super curiosa para ler Americanah, Meio Sol Amarelo e Hibisco Roxo, os romances que ela já escreveu. Ela é nigeriana e super reconhecida por defender o feminismo em seu país. Assisti duas palestras dela do TED, que já são um pouco antigas, mas os temas são muito atuais e se você ainda não conhece vale a pena pensar um pouco sobre o que ela fala: Todos deveríamos ser feministas e O perigo de uma História Única. Curiosamente quando eu comecei a ler o livro estourou aquela história de que ela havia sido transfóbica por dizer que a experiência de uma mulher trans não é a mesma de uma mulher que nasceu mulher. Para mim o que ela disse foi perfeitamente claro, apontando a diferença sem entrar no mérito de ser melhor ou pior, mas a internet não perdoa e isso gerou muita discussão. Ainda tenho muitos livros dela para ler, mas já a admiro como pessoa então ela vem forte para o meu top 5.

Gwendolyn Womack

Essa é a minha aposta do time dos iniciantes. Li um livro dela que se chama O Pintor de Memórias e gostei bastante do estilo, foi o único livro que ela lançou por enquanto, mas eu gostei demais da premissa e como ela já está escrevendo o segundo livro, que tem previsão de lançamento para esse ano resolvi colocar o nome para jogo. O livro dela não é um dos melhores que li na vida como os demais, mas o estilo me conquistou e acho que mais pessoas precisam conhecê-la! No livro ela conta a história de Brian Pierce e Linz Jacobs, que se cruzam em uma exposição sobre o Egito e descobrem que tem muito mais em comum além dessa paixão pela mitologia egípcia. Ele é um pintor e ela uma neurogeneticista. Ele faz muito sucesso com seus quadros, que são imagens de sonhos que ele teve de suas vidas passadas. Ela é muito reconhecida na sua área pelas pesquisas que fez, mas juntos eles vão ter que desvendar um pequeno mistério e entender porque estiveram juntos em tantas vidas passadas e vão ter que tentar evitar que sejam assassinados novamente. Gwendolyn é estadunidense, nasceu no Texas, mas hoje mora em Los Angeles com o marido e o filho. Seu segundo livro deve sair em junho nos EUA e eu sigo curiosa para saber como seu estilo de escrita vai se aprimorar.

Ken Follett

Eu namoro o Ken Follett desde que ele lançou Queda de Gigantes, o primeiro livro da Trilogia – O Século, mas o primeiro livro dele que li foi As Espiãs do Dia D e foi uma experiência dúbia porque logo que fechei o livro fiquei com a sensação de que não tinha sido tudo que eu esperava, mas depois de pensar sobre a história eu cheguei a conclusão de que gostei muito e acho que vale muito a pena ler mais livros dele. O mais engraçado é que cada vez que penso nisso, mais eu acho motivos para gostar do livro. Já foi para a lista de releitura! Ainda quero ler a trilogia, Pilares da Terra e outros livros únicos que ele escreveu. Ele é uma máquina, tem livro novo todo ano se não me engano. Ah! Ele nasceu no País de Gales e já vendeu mais de 100 milhões de cópias de suas histórias.

Stieg Larsson

Depois de ler toda a saga de Harry Potter eu me senti meio orfã de séries. Por conta disso comecei uma jornada para encontrar uma nova série para chamar de minha. Passei por vááárias que não me agradaram muito até chegar a série Millenium. Uma amiga do trabalho me emprestou Os Homens que não Amavam as Mulheres e eu devorei, fiquei amarradona na história e li todos os livros muito rápido. Me apaixonei por Lisbeth Salander e Mikael Blomkvist num grau que só lendo para você entender. Os personagens são muito bem construídos você consegue entender as motivações deles e até os secundários fazem sentido por mais que você saiba pouco sobre eles, você sabe o suficiente. A série tem três livros e o último foi publicado em 2007 na Suécia e chegou ao Brasil em 2009. Aqui no blog tem crítica de todos Livro 1, Livro 2 e Livro 3 é só clicar e conhecer um pouco mais sobre eles. Agora eu preciso dizer que estou trapaceando porque ele não está mais vivo e só escreveu esses três livros. Há pouco tempo chegou ao Brasil A Garota na Teia de Aranha, mas ele foi escrito por outro autor que admirava o trabalho e o estilo dele.

Então é isso, espero que tenham gostados dos autores contemporaneos que eu a Ana achamos importantes para você conhecer. Você já conhece alguns deles? Diz ai nos comentários o que achou das duas listas e me fala se tem alguém que você conhece e que acha que deveria estar aqui.

Tenha um ótimo ponto para ler!

 

Você irá gostar de ler também:

3 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *