Ptah – Final

Olá, meu bom leitor.

Mais uma quinta-feira e mais um conto.

No concurso eu fiquei em segundo lugar. Muita felicidade não é mesmo.

Espero que gostem do final.

Para quem não leu as outras partes:

Parte 1

Parte 2

Parte 3

Parte 4

Tenha um ótimo ponto para ler!

Ptah – Final

ESCOLHAS

A mente de Ptah foi voltando aos poucos, quando conseguiu abrir o olho viu que estava bem ao lado do centro do salão e ele conseguia ver duas lanças iluminadas pela luz.

– Sssssssssssssss calma garoto, já já você vai deixar este mundo.

Ptah tentou se mover e não conseguiu, viu que estava totalmente imobilizado por uma enorme cobra.

– Sssssssssssssss você achou mesmo que iria conseguir fazer isso? – a cobra dizia enquanto se enrolava mais – Edrofo me deu um presente hoje sssssssssssssss.

– Eu não posso morrer – Ptah falava enquanto tentava se soltar – se eu morrer muitas pessoas morrerão também.

A cobra parou de se enrolar e apenas deixou Ptah preso – Você disse sssssssssssssss outras pessoas irão morrer?

– Sim, as pessoas de Lothus.

– Pensei que você estava aqui para salvar a Isisssssssssssssss.

– Também – Ptah parou de se debater para se liberar.

– Mas você sssssssssssssssabe que não pode salvar os dois.

– Eu sei – a voz dele era pesada de angústia.

– E então o que você vai fazer sssssssssssssss.

– Na verdade não sei – pela primeira vez na vida Ptah estava sendo sincero com alguém, falava tudo que sentia – um lado meu quer salvar Lothus, mas outro quer salvar Isis.

– Sssssssssssssss então?

– Não é certo pedir para você me matar não é mesmo?

A cobra o soltou – Agora vendo o seu desespero não quero mais te devorar, vai ser mais interessssssssssssssssante ver o que você vai fazer.

– Você é o primo de Edrofo.

– Sssssssssssssssim.

– Não foi uma pergunta.

– Gossssssssssssssstei de você.

– O seu primo falou a mesma coisa – Ptah não queria mais deixar a loucura tomar conta de sua mente – então eu preciso escolher uma lança.

– Essssssssssssssstão ali – disse a enorme serpente apontando com a cabeça para as duas lanças.

– Você não vai me falar qual é a certa, não é mesmo? Seria muito fácil.

– Não, mas posssssssssssssssso dizer o que cada uma pode fazer, vai ser mais divertido ver a sua batalha interior.

– Muito obrigado. O que elas fazem?

– A da direita é a lança da pessssssssssssssste, com ela Edrofo terá o poder de lançar uma peste no mundo para acalmar o aumento da população que cresce em desordem.

– Muito bem, não para esta e a outra?

– É a lança da infertilidade, com ela Edrofo vai poder deixar maisssssssssssssss da metade da população infértil.

– Não para esta também. O que você me aconselha?

– Quem sou eu para acosssssssssssssssssselhar algo – a cobra se deliciou dizendo isso – quero ver você resolver este dilema. Acho melhor ir rápido, o dia está para amanhecer e Edrofo está lhe esssssssssssssssperando lá fora.

– Calma – Ptah começou a suar frio – mas como posso escolher algo que vai provocar uma onda de efeitos em massa?

– Pensssssssssssssssei que Edrofo havia lhe dito que ele é o agente da ação.

– Ele disse, mas nunca imaginei que seria uma ação tão grande.

A cobra se rastejou para trás das lanças para ter uma visão melhor de Ptah – Essssssssssssssscolha Ptah.

– Você sabe me dizer qual salva Lothus e qual salva Isis?

– Qualquer uma. O que vai salvar elessssssssssssss é o seu desejo, que Edrofo vai realizar em troca do serviço, masssssssssssssss se você não conseguir fazer esta escolha ambos morrem, a cidade e Isisssssssssssssss.

Ptah foi pego por um cruel dilema criado por Edrofo, escolher a lança da peste e salvar uma cidade que pode sucumbir por uma doença sem cura ou salvar Isis e a ver morrer doente ou pegar a lança da infertilidade e deixar uma cidade morrer sem ter herdeiros ou salvar Isis e não ter um filho com a sua amada.

– O que você escolheria?

– A que traga maisssssssssssssss dor – disse a cobra sem hesitar.

– Ambas são de uma dor desesperadora não sei se sou capaz de escolher isso.

– Não esssssssssssssscolha e ambos morrem. Edrofo irá arrumar outro herói para esta missão.

– Eu não sou herói – retrucou Ptah.

– Se é o que penssssssssssssssa não posso dizer mais nada.

– Não consigo entender a maneira que vocês dois pensam.

– O nosso modo de pensar vai muito mais além do que você pode compreender, apenasssssssssssssss escolha.

– Muito bem então vai ser essa – disse Ptah enquanto puxava uma lança – e agora, como saio daqui?

– Por ali. Sssssssssssssss – disse a cobra apontando com a cabeça enquanto uma porta que se abria para fora da caverna.

Ptah foi andando, não conseguia correr afinal estava carregando algo que iria causar confusão e histeria em massa, queria adiar o máximo possível.

Quando saiu Edrofo o esperava com um sorriso tão grande que quase lhe faltava espaço no rosto para tantos dentes e tanta fumaça que saía de sua boca.

– Vejo que você fez a sua escolha – disse ele com um ar de realização – fez uma ótima escolha. Quem você quer salvar?

– Antes posso fazer uma pergunta?

– Para você vou abrir uma exceção, faça.

– Por que eu?

– Porque você demonstrou integridade ao recusar Regalis, ao fazer planos de criar sua casa e “ser o seu próprio senhor” também mostrou uma fibra muito maior do que pensa e era isso que eu estava esperando. Quer perguntar mais alguma coisa?

– Por que não salvar todos?

– Porque a vida não é fácil. Temos que fazer escolhas para seguir em frente e saber lidar com as suas consequências. Por que acha que eu mesmo não posso ir lá dentro e escolher qual lança usar para dar uma freada na humanidade? – ele mantinha o sorriso no rosto – Porque isso não cabe a mim, isso cabe a um humano, um humano de fibra e integridade. Tudo isso faz parte de um plano maior que nem eu tenho capacidade para entender, mas ordens são ordens e eu apenas as cumpro.

– Então vamos terminar logo com isso – Ptah não desejava mais querer entender aquela loucura e já sabia o que desejar.

– Qual o seu desejo? – Edrofo estava ansioso para ter aquela resposta – Lothus ou Isis?

– Posso desejar a minha morte e salvar os dois?

Edrofo soltou uma gargalhada – Já disse que eu adoro isto em você.

– Já ouvi muito isso hoje.

– Vejamos – Edrofo começou a andar em círculos batendo a base da lança no chão – um mundo onde Lothus e Isis irão sobreviver, com ressalvas é claro, pois a peste que vou lançar pode acabar com os dois, mas mesmo assim será interessante. Posso fazer isso sim.

– Então faça – mesmo não se sentindo preparado Ptah queria dar um fim em tudo.

– Agora eu quero uma resposta sua Ptah.

– Qual é?

– Por que a peste?

– Mesmo que as chances de sobrevivência sejam pequenas, se Isis resistir não quero tirar dela a oportunidade de ser mãe.

– Muito bem, meu herói. Que assim seja, te vejo do outro lado em breve. E saiba que a peste é uma compulsão das pessoas não quererem tocar uma na outra.

Ptah soltou um longo suspiro de olhos fechados – Nunca é fácil não é mesmo, pelo menos Isis e Lothus vivem.

Você irá gostar de ler também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *