Primeiro passo de uma jornada…

Olá meu bom leitor!

Para aqueles poucos que me conhecem, e põem poucos nisso, sabem que eu costumo escrever como passatempo e diversão. Pois bem ao passar de alguns anos acabei acumulando uma quantidade significativa de textos como contos, crônicas, poesias (tentativa de poesia melhor dizendo), dissertações, criticas e até mesmo peças.

Hoje me veio a mente em um momento de tédio absoluto o pensamento “Vou criar um blog”. Mas blog de que?

A minha digníssima namorada me deu uma luz falando para eu postar os textos que eu possuo, então pensando nisso eu acabei gostando da ideia, por que afinal de contas eu tenho material para postar em um período de um ano ou mais.

Mas não pretendo postar apenas textos que eu produzi, pretendo também trazer textos de renomados escritores do mundo, desenhos, pinturas, músicas… Enfim o que eu achar interessante e valido como expressão de arte e cultural.

Espero que gostem das minhas postagens que pretendo fazer duas vezes por semana.

Para iniciar vou postar um dos primeiros textos que escrevi em 25 de agosto de 2010 em referencia ao horário político.

Tenha um ótimo ponto para ler!

Cadê a face da democracia

Ora! Quanta bobagem se pode ouvir no horário político.

Ontem resolvi assistir pela primeira vez todo o programa eleitoral, que se deveria na verdade chamar programa de como se tornar cada vez mais um analfabeto político.

São “candidatos” que se mostram cada vez mais incrédulos com suas próprias candidaturas, em sua grande maioria, e infelizmente, uma grande maioria que é esmagadora, salvando poucos iluminados. Esse peso esmagador que se forma em cima da democracia é a visão que se faz da face da democracia brasileira.

Face que está encoberta por varias máscaras e quilos de maquiagem, forma que se viu para conseguir cobrir seu rosto com o tom vermelho da vergonha. E sabem o porquê desta vergonha e os vários artifícios para esconder seu rosto?

Por causa de nós, isso mesmo, nós somos os verdadeiros culpados, nós os eleitores que não sabemos votar, que acreditamos em falsas promessas, e as piores promessas que já foram faladas, e sempre caímos no mesmo conto do vigário.

Caros eleitores e futuros eleitores, vamos fazer a diferença, vamos votar não no menos pior ou no que rouba menos, e pior daquele que diz que vai votar no que rouba mas faz, parem com essa atitude degradante e viciosa, que acaba com a democracia e o que chamamos de país, acorda Brasil!

Nesses “horários políticos” onde vemos candidatos que dizem.

Vote em mim para a mudança.

– O que você vai fazer de novo, nunca te vi fazendo nada novo antes, como posso confiar em você?

– Vote em mim, pois eu sei o que o Brasil precisa.

– Sabe mesmo me mostra uma atitude sua antes que demonstre que você realmente sabe o que Brasil precisa?

– Vote em mim porque eu fiz muito e quero fazer muito mais.

– É mesmo e o que você fez quando teve o escândalo do mensalão ou então quando foi comprovado que o painel do Senado Federal foi alterado, caso Sarney, escândalo dos Democratas, obras super faturadas, o que você fez?

A resposta é sempre a mesma, o silêncio.

E este silêncio vai continuar, porque eles sabem que se ficarem parados por um pouco tempo o povo esquece, infelizmente esquece, e a face da democracia apenas se esconde mais. Pergunte a qualquer um que nasceu entre os anos de 1988 a 1992 se eles confiam nos parlamentares, em sua maioria vão dizer que não confiam, e não acreditam na limpeza do Congresso Nacional pelos candidatos que se encontram nestes “horários”. Aproveite e pergunte, o que você acha sobre a democracia brasileira? Surpreenda-se com as respostas que você vai ouvir.

A juventude está se perdendo, e isso porque ela nunca viu de fato a verdadeira face da democracia. Pra que lutar por algo que nem ao fato sei se existe?

Infelizmente é esse o caminho que a democracia esta tomando forçada por nossa culpa, o caminho da vergonha e da falta de ética. Por nossa culpa a democracia pinta mais um ponto de sua face para esconder sua vergonha.

Você irá gostar de ler também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *