Ponto de Referência | Aldous Huxley

Olá, leitores!

Começamos a semana com mais um Ponto de Referência e dessa vez escolhi mais um autor que acabei de ler: Aldous Huxley. Se você curte livros de ficção científica provavelmente vai reconhecer esse nome. Seu livro mais famoso é o Admirável Mundo Novo, que foi escrito em 1932. Foi exatamente esse livro que eu li e amei, mas vou contar sobre ele outro dia, hoje o foco é no autor. Ele nasceu na Inglaterra em 1894 no dia 26 de julho (é o aniversário da minha mãe também \o/) e um fato curioso sobre sua morte é que ela ocorreu no mesmo dia em que John Kennedy foi assassinado. Outro autor ilustre morreu nesse dia também: C. S. Lewis, mas ambos ficaram a sombra de Kennedy.

Ao contrário do Melville, ele foi reconhecido por suas obras ainda em vida. Talvez a influência de sua família, que tinha vários intelectuais, tenha contribuído para isso, o seu avô era Thomas Henry Huxley, cientista que defendia a teoria da evolução de Charles Darwin e criador dos termos “agnóstico” e “biogênese”; a romancista Humphrey Ward era sua tia e o seu tio-avô era o poeta Matthew Arnold.

Antes de ser escritor, ele cursou medicina, mas devido a um problema de vista que quase o cegou ele teve que parar o curso até voltar a enxergar o suficiente para concluí-lo. Seu primeiro contato com a literatura foi na própria faculdade. Mas a coisa mais legal sobre ele é que ele mudou para Los Angeles na década de 30 e se tornou roteirista de Hollywood. Ele chegou a fazer um roteiro para a animação Alice no País das Maravilhas, mas Walt Disney rejeitou por ter achado a linguagem muito complicada para crianças. Apesar disso, suspeita-se que Absolem, a lagarta azul, seja uma homenagem a ele.

Outra coisa muito legal é que ele foi escolhido para fazer parte da capa de um álbum dos Beatles chamado Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band, dá só uma olhada:

Tá vendo aquele círculo vermelho bem ali? Aquele rostinho é dele! E ainda há outras personalidades literárias por ali: Edgar Allan Poe (verde), Oscar Wilde (lilás), William Burroughs (rosa), Karl Marx (cinza), Bob Dylan (amarelo) e C. S. Lewis (azul). Divirta-se procurando mais conhecidos nessa capa!

Algumas obras que ele escreveu, caso você se interesse 😉

Para finalizar, vou colocar um trecho que eu gostei muito durante a leitura de Admirável Mundo Novo:

“Não queremos mudar. Toda mudança é uma ameaça a estabilidade. Essa é outra razão que nos torna pouco propensos a utilizar invenções novas. Toda descoberta da ciência pura é potencialmente subversiva: até a ciência deve, as vezes, ser tratada como um inimigo possível. Sim, a própria ciência.”

Forte, né?! Diz tanto sobre o que vivemos hoje que me assusta…

Até a próxima!

Ana.

Você irá gostar de ler também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *