Ordem do Mérito Cultural 2017

Olá, meu bom leitor.

O Ponto recebeu um convite para prestigiar a entrega dos prêmios da Ordem do Mérito Cultural 2017 (OMC), que é uma condecoração criada em 1995 pelo Ministério da Cultura. A premiação é anual e feita para homenagear todos aqueles que se destacaram em qualquer área do campo cultural.

Geralmente a cerimônia é feita para homenagear um artista específico, porém, diferentemente das edições anteriores a deste ano não homenageou ninguém, mas houve uma breve afirmação de que os homenageados do dia seriam todos os empreendedores culturais. Além da fraca homenagem aos trabalhadores, houve a entrega das três classes do mérito que são: Grã-Cruz, Comendador e Cavaleiro. Integram a classe Grã-Cruz, o maior título, seis agraciados; a classe Comendador tem 11 nomes; e a classe Cavaleiro, 15. É possível que a mesma pessoa receba a comenda mais de uma vez, porém em classes diferentes. Os órgãos e entidades públicas e privadas, nacionais e estrangeiras são admitidos na Ordem sem grau de classes.

A cerimônia foi bem bonita, o discurso do ministro Sérgio Sá Leitão, foi bem coerente com a nova política de atividades que o ministério vem desenvolvendo, como por exemplo a ampliação de apoio para os projetos e o foco da criação de uma cultura de empreendedorismo cultural.

“O Ministério da Cultura enxerga a cultura como um setor estratégico da economia brasileira, sem deixar de considerar a sua dimensão simbólica e seu impacto na constituição da identidade nacional, na formação do capital humano e no estímulo à diversidade e à tolerância”, fala de Sérgio Sé Leitão em seu discurso.

Dentro dos agraciados com a OMC posso destacar Ana Miranda, escritora que já ganhou o Jabuti, possui mais de trinta livros publicados e foi agraciada como Comendadora. Pierre Mantovani executivo e idealizador da Comic Con Experience Brasil foi agraciado como Comendador. Renato Aragão que dispensa apresentações e foi agraciado com a classe maior da Ordem como Grã-Cruz da Cultura. Caso você queira saber a lista de todos os agraciados basta clicar AQUI.

“A arte e a cultura não são problemas, são parte de uma solução definitiva e estruturante. Temos que compreender que a cultura não é um desafio de um único ministério, mas de todo um governo. Para isso, o MinC precisa ser um articulador e um fomentador de políticas públicas em todas as pastas, em todo o governo federal”, destacou Eduardo Saron diretor do Itaú Cultural, em nome de todos os homenageados.

O que mais gostei de toda a cerimônia foi a diversidade na entrega dos prêmios, tivemos ativistas LGBT, empoderamento feminino, cultura religiosa afro-brasileira e profissionais do ramo de áudio-visual inclusivo.

Então é isso pessoal, um panorama geral do que rolou na entrega da premiação da Ordem do Mérito Cultural, que ocorreu no Palácio do Planalto, aqui em Brasília. Eu fiz um monte de histórias no Instagram do Ponto (@pontoparaler).

Tenha um ótimo ponto para ler!

Fonte: www.cultura.gov.br



Você irá gostar de ler também:

1 comentário

  1. Paulo, eu aprendo tanto com seu blog e suas postagens, nem sabia que existia essa premiação, a cultura e suas premiações deveriam ser mais divulgadas. Ou será que nós deveríamos ir atrás? me veio essa pergunta agora hahaha enfim, legal vc ter participado. Parabéns!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *