O Brasil ainda tem muito o que contribuir

Um ótimo exemplo de que nós brasileiros temos muito ainda a contribuir no mundo da literatura.

O que falta ainda infelizmente é o reconhecimento tanto da população como do governo de que o Brasil é capaz sim de produzir grandes nomes. O que nós falta é este reconhecimento que o José Luiz Passos teve ontem, escritores como ele que me dão a vontade de continuar escrevendo e melhorando a cada dia.

Ser reconhecido como escritor já é uma conquista enorme, ser reconhecido como escritor dentro do seu país é maior e acredito que ser reconhecido como escritor brasileiro de excelência no exterior deve ser de outro mundo.

Post 1

O romance O sonâmbulo amador, do escritor pernambucano José Luiz Passos, é o grande vencedor da 13ª edição do Prêmio Portugal Telecom de Literatura em Língua Portuguesa. A obra também levou o prémio de melhor livro de romance. O anúncio foi feito na noite desta quarta-feira (4/12), durante cerimônia no auditório Ibirapuera, em São Paulo, no Brasil.

O romance escolhido pelo júri conta a história de um funcionário da indústria têxtil pernambucana internado numa clínica psiquiátrica, cujos sonhos se misturam com acontecimentos políticos do fim da década de 1960. É o segundo romance de José Luiz Passos, contista, ensaísta e autor de uma peça de teatro. O escritor, que nasceu em Catende, Pernambuco, em 1971, vive em Los Angeles, nos Estados Unidos, onde dá aulas na Universidade da Califórnia.

Os outros livros vencedores da noite foram Essa coisa brilhante que é a chuva, de Cíntia Moscovich, na categoria de contos, e Sentimental, de Eucanaã Ferraz, na categoria de poesia. O primeiro, reúne nove contos desta escritora brasileira que nasceu em 1958, em Porto Alegre, e que tem alguma da sua obra publicada em Portugal (o livro de contos Arquitectura do Arco-Íris e o romance Duas Iguais na Bico de Pena por exemplo). No Brasil está presente nas coletâneasque 25 mulheres estão fazendo a nova literatura brasileira (organizada por Luiz Ruffato) e Os melhores contos brasileiros do século (organizada por Ítalo Moriconi) e a editora portuguesa Quasi integrou-a na antologia de contistas portugueses e brasileiros, Putas.

Texto retirado do Correio Braziliense.

Você irá gostar de ler também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *