Minha vida – Parte Quatro

Olá, meu bom leitor.

Mais uma quinta-feira e mais um conto.

Hoje vou postar a penúltima parte do conto “Minha Vida” e para ser sincero estou muito feliz em estar conseguindo escrever uma história totalmente em narrativa de primeira pessoa.

Então vamos a próxima parte do conto, quem não leu as outras a baixo segue os links:

Parte 1

Parte 2

Parte 3

Tenha um ótimo ponto para ler!

Minha vida – Parte Quatro

Sobre este pedaço da minha vida não tenho muito o que falar, foi uma viagem muito tranquila. Eu e Ludai conversamos muito sobre questões da vida, besteiras e também passamos muito tempo calados apenas deixando o horizonte se aproximar.

Entre uma daquelas conversar ele me disse que na verdade eles eram animais magos, tinham conhecimentos sobre as magias que regem a natureza. Eu fiquei particularmente encantando ele me contou a historia de cinco grandes animais que em um passado muito longe salvaram Zamer da destruição.

Não adianta me olhar assim, por mais que eu queria eu não vou me lembrar direito da história e muito menos o que esses animais fizeram, mas se não me falha a memoria o líder era uma tartaruga e entre eles tinha um dragão laranja que deu muito problema depois… me desculpe não me lembro da historia então pare de reclamar e vamos voltar a minha história.

Quando chegamos às margens da floresta que o mapa indicada como sendo onde Sanvor morava eu me assustei, não era uma floresta qualquer, não era uma floresta normal, não era uma floreste deste mundo.

Eu me lembro de ver as árvores e me lembro de acha-las diferentes, eu via árvores, mas sabia que elas tinham algo mais que somente depois que eu fui descobrir o que era.

Ludai me disse para tomarmos cuidado quando entrássemos lá dentro, pois as trilhas sempre mudavam de lugar, lembro-me de questiona-lo de que isso era impossível, então ele me disse que o impossível só existe para aqueles que acreditam nele.

Não sei porquê, mas aquelas palavras ficaram grudadas na minha mente e eu nunca mais me permiti esquece-las, o impossível só existem para aqueles que acreditem nele.

Mas vamos voltar ao momento em que eu entro na floresta que eu apelidei de floresta velha, o ar era diferente. Bem na verdade eu respirava normalmente, mas sabia que existia algo de diferente e na verdade nunca mais soube.

Foi nesse momento em que eu descobri o por que o mapa ser tão importante. Deste o momento em que eu o vi ele tinha o desenho de algumas planícies, florestas e montanhas e no meio de uma das florestas tinha o desenho de uma casa e acima escrito “Casa de Sanvor” até ai nada de mais. Mas quando entramos na floresta e Ludai pediu para eu olhar o mapa para sabermos qual caminho pegar eu me surpreendi, o mapa havia mudado o seu desenho e mostrando cada árvore, cada trilha e como em um labirinto visto de cima eu pude com o dedo riscando o papel para o melhor caminho até a casa de Sanvor.

Lembro de me indagar para Ludai que aquilo era impossível, ele apenas me olhou riu e eu me conformei, até aquele momento eu não sabia o que iria dizer para Sanvor quando o encontrar.

Você irá gostar de ler também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *