Metas literárias para 2018 | Ana

Início e fim de ano é uma época que todo mundo começa a fazer metas para a vida, parece que a expectativa do novo ano faz com que a maioria das pessoas se mexa e planeje coisas. O problema é que, na maioria das vezes, nos pegamos fazendo planos que não condizem nossa realidade, aquelas coisas impossíveis que em vez de nos motivar a realizar algo acabam nos desacreditando do nosso potencial. Uma vez fiz um curso que tinha que estabelecer algumas ações que eu deveria desenvolver até o próximo encontro e recebi uma dica de ouro: sempre que for estabelecer metas, faça um exame de consciência e determine coisas que nem sejam fáceis demais que vão tirar o gosto de desafio e nem difíceis demais que vão te levar a um esforço descomunal e provavelmente ao fracasso.

Pensando nisso resolvi registrar as minhas metas literárias para o ano, porque normalmente a única meta que eu tento cumprir é a de ler 24 livros por ano. Eu sei que a minha rotina de trabalho e pessoal somadas ao meu ritmo de leitura bem lentinho acabam por me prejudicar nesse ponto. Tanto que aqui no blog, a maior parte das críticas são feitas pelo Paulo, porque ele é uma máquina de ler livros (Hahahahaha), nunca vi pessoa para ler tão rápido… E eu não me pressiono a ler mais rápido, porque estou satisfeita com o meu ritmo, sabe? Mas mudar de emprego em 2017 prejudicou consideravelmente a minha vida literária e eu cheguei ao fim do ano com apenas 14 livros lidos.

Eu comecei a estabelecer essa meta de 24 em 2016 e desde então eu nunca cheguei a ela, mas no primeiro ano eu cheguei bem perto (20 livros!), então olhando para trás eu pensei que organizando melhor algumas coisas eu conseguiria facilmente chegar a essa quantidade. Lembro bem desse sentimento quando mantive a meta para 2017 e achei que apesar de todas as mudanças e loucuras, faltou organização e foco. Deixei as coisas muito ao acaso, não acho que eu deva determinar todos os livros que quero ler em cada pedaço do ano, mas a falta de direção me prejudicou bastante, por isso esse ano eu resolvi delimitar algumas coisas.

Rumo aos 24

Primeiro de tudo, minha meta alvo de leitura continua sendo 24 livros por ano. Dois livros por mês é algo bem possível para o meu ritmo de leitura. Normalmente eu leio mais em alguns meses e menos em outros, mas eu continuo acreditando que não é algo que vai ser penoso, desde que eu me organize. Se mesmo com a dedicação que eu estou tendo agora eu não conseguir chegar a meta é sinal de que será necessário revê-la. Eu já terminei meu primeiro livro do ano e estou lendo mais dois, tem um que eu iniciei a leitura, mas está abandonado. Por enquanto estou com foco total em terminar essas três leituras.

Leia Mulheres

Esse é um projeto que foi iniciado em 2014 e, cada vez mais grupos de leitura exclusiva de escritoras surgem por aí. Não tenho meta de quantidade, mas quero conhecer autoras que eu admiro há muito tempo e ainda não tive a oportunidade de ler. Fiz uma lista inicial para me orientar, mas não estou me obrigando a cumprir 100% dela esse ano, é para ser uma lista viva que vai se modificando com o passar do tempo:

Maria Valéria Rezende

Virgínia Woolf

Elena Ferrante

Margareth Atwood

Carol Bensimon

Buchi Emecheta

Simone de Beauvoir

Ana Paula Maia

Lucia Berlin

Rosa Montero

Chimamanda Ngozi Adichie

Hilda Hilst

Acredito que se ao fim do ano eu conseguir ler pelo menos três ou quatro dessa lista estarei caminhando na direção literária que eu sonho. No fim do ano volto com novidades 😉

Leia Brasileiros

Esse também é um projeto que faz parte do blog desde que ele nasceu, logo a listinha daqui também vai ser para a vida. Sempre pregamos a valorização da literatura nacional, mas foi só ano passado que eu passei a ler mais autores aqui de Brasília e a experiência de ler autores locais que estão ao meu alcance foi única! Acaba que por força do hábito a gente pensa muito mais nos autores que já morreram há muuitos anos do que nos autores contemporâneos e esse ano eu gostaria de experimentar autores nacionais recentes. Nada contra os pais e mães da literatura brasileira, mas quero mudar e orientar o foco desse ano para alguns em específico:

Cristóvão Tezza

Letícia Wierzchowski

Cinthia Kriemler

Patrícia Baikal

Marco Severo

Daniel Barroso

Lygia Fagundes Telles

Milton Hatoum

Luiz Ruffato

Jander Gomez

Marçal Aquino

Nélida Piñon

Alberto Mussa

Bernardo Kucinski

Carlos Heitor Cony

Só a união dessa lista e do Leia Mulheres já dá mais que os 24 do ano! Então aviso novamente que essa é uma lista viva e para a vida, os nomes podem ser alterados ao longo dos meses de acordo com minhas descobertas. E eu me dou por satisfeita se conseguir ler pelo menos três novos autores brasileiros ao longo desse ano.

Saindo da zona de conforto literária

Eu venho fazendo esse exercício há uns dois anos e só tem me trazido alegrias. Ano passado li meu primeiro Stephen King depois de destruir aquela imagem de que ele só escrevia terror. Ainda não me sinto pronta para ler o gênero porque continuo muito medrosa, mas estou procurando coisas que saiam da regra distopias e fantasias, que foi o que eu mais li ao longo da vida. Nada impede que eu pegue livros assim ao longo do ano, mas meu radar está ligada justamente para tentar coisas diferentes. Posso dizer que do fim do ano passado para cá eu descobri os Romances de Formação que por enquanto só me trouxe títulos e autores sensacionais. A ideia aqui é desbravar e sigo sem nenhuma meta específica, mas aberta as novidades.

Pacto Literário

Em 2016 foi criado o Grupo de Leitura Pacto Literário, eu comecei a participar mesmo no início do ano passado e não me empenhei tanto assim para acompanhar as leituras do grupo. Esse ano quero ter mais compromisso com as leituras, por mais que não consiga fazê-las no mês certinho. Já comecei bem porque minha primeira leitura concluída desse ano foi o livro de janeiro e uma das que estão em andamento é o livro de dezembro. O grupo está no Facebook e é aberto a todos que queiram participar. Os livros são selecionados por votação e, pensando nessa ideia de planejamento, optamos por fazer a votação de todos os livros para 2018 agora no início do ano. Essa semana vamos iniciar a votação dos livros de junho e até agora foram eleitos:

Janeiro – A Amiga Genial (Elena Ferrante)

Fevereiro – Todo Dia (David Levithan)

Março – Dois Irmãos (Milton Hatoum)

Abril – Hibisco Roxo (Chimamanda Ngozi)

Maio – Kindred (Octavia E. Butler)

É um grupo cujas leituras são bem diversas, porque cada um tem um gosto literário diferente. É bem frequente ter declarações de amor e ódio ao livro nos debates mensais Hahahaha

**

Além dessas metas ainda temos alguns projetos em vista, o primeiro deles é o Projeto Uns e Outros que lançamos semana passada e nos acompanhará por aqui até março. Com o passar do tempo vamos apresentando os outros para não misturar as coisas.

Até que para quem não queria estabelecer muitas metas eu estou bem cheia de planos… Mas boa parte deles não é algo que eu preciso riscar cada item ainda em 2018 e estou bem tranquila com os meus planos. Estou até bem feliz por finalmente juntá-los em lugar só. Espero chegar ao final de 2018 e dizer que cumpri a maior parte das coisas que deixei determinadas aqui, mas a meta principal é ser feliz.

Até a próxima!

Ana Paula

Você irá gostar de ler também:

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *