Mercado literário brasileiro

Olá, meu bom leitor.

Hoje venho mais para desabafar. Desabafar sobre o meu descontentamento com o mercado literário brasileiro, que é uma bosta sem precedentes.

Eu tenho uma trilogia escrita e estou na batalha de tentar publica-la. Mas é muito complicado e dificílimo.

No ano de 2012 eu consegui fazer contato com uma grande editora que atua aqui no Brasil (não irei citar nomes por motivos legais). Eles me fizeram assinar um contrato de exclusividade que duraria até dezembro de 2013, pois se eu quisesse publicar o texto teria que publicar com eles. Até aí tudo bem.

Recebi total apoio para revisar e editar o texto e eles foram muito eficientes em todo este processo até que finalmente fizeram uma proposta. Eles iriam publicar o meu livro, mas para isso eu deveria vender os meus direitos autorais. Se fizesse isso iria receber uma quantia altíssima em dinheiro e abriria mão dos meus direitos como autor da obra.

Achei meio estranho e fui me informar melhor sobre o que aconteceria caso aceitasse esta proposta. Vi que vendendo os direitos autorais eu iria simplesmente dizer: Peguem tudo o que eu escrevi, publiquem, ganhem todo o reconhecimento e os lucros de venda e nunca mais olhem para a minha cara. Estou abdicando do meu trabalho.

Quando indaguei sobre isso ao editor que entrava em contato comigo, ele foi bem enfático e disse exatamente com essas palavras: “Nós percebemos que o seu texto tem um grande potencial comercial, no entanto você não tem um nome conhecido no mercado literário e por este fator é mais vantajoso você vender os seus direitos para a editora. Assim teremos a possibilidade de lançar o livro com um nome fictício que chame mais atenção na venda”.

Nunca irei me esquecer destas palavras.

Isso que aconteceu comigo também aconteceu, acontece e irá continuar acontecendo com todos os novos escritores que tenham a mesma vontade que a minha.

Isso é apenas a ponta do iceberg, existem casos em que o editor se aproveita da falta de experiência do escritor e roubam (isso mesmo, roubam na cara dura) o seu trabalho. Existem inúmeros processos parados na justiça em relação a direitos autorais para determinar quem é o verdadeiro autor da obra. Um absurdo. Enquanto rolar o processo o livro fica proibido de ser disponibilizado e isso acaba destruindo grandes nomes que poderiam aparecer, porque na grande maioria dos casos quem vence é o editor por ter feito o registro da obra antes do autor.

Por isso, aqui vai uma dica para você que é um aspirante a escritor e deseja entrar em contato com editores para analisarem o seu texto: Antes de procurar qualquer pessoa registre o seu trabalho na Fundação Biblioteca Nacional (www.bn.br). Vamos acabar com essa palhaçada que acontece com mais frequência do que deveria ser possível.

O mercado literário brasileiro é feroz. E para quem não sabe dançar conforme a música ele é perigoso, pois sabe dilacerar os sonhos de aspirantes com uma velocidade tão grande que em alguns casos até cria traumas em certas pessoas que simplesmente param de escrever.

O que me deixa mais revoltado com toda a situação é a posição do governo em relação a tudo. O Ministério da Cultura cria ações ineficazes para ajudar o escritor brasileiro e não tem uma posição real sobre a defesa dos direitos do escritor, isso sem contar que não temos nenhum parlamentar que realmente defenda os direitos do escritor brasileiro.

O que quero dizer é que o escritor não é valorizado nem respeitado no Brasil. A proposta que me fizeram é um exemplo de falta respeito, os roubos de textos por parte de editores mal intencionados é outro exemplo e a posição do governo é praticamente um tapa na cara. Afinal de contas a cultura de um país é determinada por todas as obras que são produzidas em seu território de forma escrita, falada, teatral, musical e entre tantas outras possibilidades, mas umas das que mais pesam é a cultura literária. Um país sem bons livros não é um país respeitado.

Escrever não é fácil. Exige dedicação, tempo e muita disposição para poder passar as ideias que estão na mente para o papel de uma maneira que você, leitor, possa ler sem se cansar ou querer abandona-la no meio.

Felizmente eu adoro escrever e adoro saber sua reação quando lê um texto meu e também gosto quando me dá dicas de onde melhorar. Você não sabe como isso me motiva.

Posso não ter um livro publicado, mas tenho este blog que está sendo muito recompensador. Se um dia vou realizar o meu sonho eu não sei dizer, mas posso dizer que este blog está sendo tão prazeroso como um livro impresso.

Muito obrigado por fazer parte da minha história ao acessar o Ponto Para Ler e muitíssimo obrigado por me aturar neste momento de desabafo.

Tenha um ótimo ponto para ler!

Você irá gostar de ler também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *