Livros que trazem Paz [Beda #14]

Nessa Sexta Feira Santa nada mais justo que trazer alguns livros que nos deixam mais espiritualizados ou que podem fazer mudanças nas nossas vidas. Essa listinha é composta por cinco livros que eu tenho interesse em ler justamente por ampliarem a visão do que pode nos guiar a um caminho mais correto sem ter ligação direta com uma religião específica. Vamos a lista:

Em Últimas palavras, Hitchens, um dos grandes nomes do ateísmo moderno,  ironiza detratores que associam o câncer a uma vingança divina, questiona o efeito prático das orações e revolta-se com a presença de crucifixos nos quartos de hospitais religiosos – mas se mostra grato pelas manifestações de solidariedade recebidas de pessoas das mais diversas crenças. Observador arguto do comportamento humano, reflete sobre como as pessoas tratam vítimas do câncer e arrisca sarcásticas dicas de etiqueta para esses casos. Defensor da ciência e da razão, comenta os avanços da medicina com admiração e uma ponta de esperança, enquanto critica o modus operandi das instituições e profissionais de saúde.

Ao escrever sobre si mesmo diante da expectativa da morte, Hitchens revela admirável desprendimento. Sem autopiedade, e com a mesma honestidade com que detalha sua decrepitude física, põe em xeque antigas convicções (como o enunciado nietzscheano “o que não me mata me fortalece”, que deixou de ter sentido para o autor depois das altamente debilitantes sessões quimioterápicas). A coragem da transparência, que havia pautado toda uma vida, manteve-se inalterada até o fim, como atestam as últimas – e talvez as melhores – palavras de Christopher Hitchens.

Quais São Nossos Deveres para com os outros como pessoas de uma sociedade livre? O governo deve taxar o rico para ajudar o pobre? O livre mercado é justo? Pode ser errado, às vezes, falar a verdade? Matar pode ser moralmente necessário? É possível, ou desejável, legislar sobre a moral? Os direitos individuais e o bem comum conflitam entre si? O curso “Justiça” de Michael J.Sandel é um dos mais populares e influentes na Universidade de Harvard. Quase mil alunos aglomeram-se no anfiteatro do campus para ouvir Sandel relacionar as grandes questões da filosofia política aos mais prosaicos assuntos do dia e, neste outono, a rede pública de televisão transmitirá uma série baseada em suas aulas. Justiça oferece aos leitores a mesma jornada empolgante que atrai os alunos de Harvard. Este livro é uma exploração investigativa e lírica do significado de justiça que convida os leitores de todas as doutrinas políticas a considerar as controvérsias familiares de maneira nova e iluminada. Ação afirmativa, casamento entre pessoas do mesmo sexo, suicídio assistido, aborto, serviço militar, patriotismo e protesto, os limites morais dos mercados — Sandel dramatiza o desafio de meditar sobre esses conflitos e mostra como uma abordagem mais firme da filosofia pode nos ajudar a entender a política, a moralidade e também nossas convicções. Justiça tem vida, provoca o raciocínio e é sábio — uma nova e essencial contribuição para a pequena prateleira dos livros que abordam, de forma convincente, as questões mais difíceis da nossa vida cívica.

Centenas de pessoas buscaram os conselhos de Cara Doçura (Dear Sugar, no original), na coluna do site Rumpus – uma comunidade on-line sobre literatura, e encontraram muito mais que uma conselheira, vasculhando as ansiedades contemporâneas. Por trás do anonimato, a best-seller Cheryl Strayed, autora de Livre, respondia a todos para ajudar a entender a essência das aflições pelas quais passavam, como uma pessoa real e sem temer a exposição. O livro ‘Pequenas delicadezas’ reúne uma seleção do melhor das colunas de Cheryl e, a cada mensagem, a escritora oscila entre a compaixão, o humor e a empatia, sem abrir mão de uma honestidade absoluta sobre sua compreensão da natureza humana. Ainda que se trate de trocas íntimas entre estranhos, nem por isso Doçura deixa de ser uma espécie de amiga próxima, sábia e verdadeira. Ela é amável, mas diz algumas verdades que precisam ser ouvidas. Não fica constrangida com as emoções dos leitores, ou com as próprias, e, por isso mesmo, é capaz de ajudar compartilhando suas histórias, além de situações nas quais se sentiu frustrada e perdida e se reencontrou novamente.

A filha mais nova de Mackenzie Allen Philip foi raptada durante as férias em família e há evidências de que ela foi brutalmente assassinada e abandonada numa cabana. Quatro anos mais tarde, Mack recebe uma nota suspeita, aparentemente vinda de Deus, convidando-o para voltar áquele cabana para passar o fim de semana. Ignorando alertas de que poderia ser uma cilada, ele segue numa tarde de inverno e volta a cenário de seu pior pesadelo. O que encontra lá muda sua vida para sempre. Num mundo em que religião parece tornar-se irrelevante, ‘A Cabana’ invoca a pergunta: ‘Se Deus é tão poderoso e tão cheio de amor, por que não faz nada para amenizar a dor e o sofrimento do mundo?’ As respostas encontradas por Mack surpreenderão você e, provavelmente, o transformarão tanto quanto ele.

Às vésperas de seu aniversário de quinze anos, Sofia Amundsen começa a receber bilhetes e cartões-postais bastante estranhos. Os bilhetes são anônimos e perguntam a Sofia quem é ela e de onde vem o mundo. Os postais são enviados do Líbano, por um major desconhecido, para uma certa Hilde Moller Knag, garota a quem Sofia também não conhece.
O mistério dos bilhetes e dos postais é o ponto de partida deste romance fascinante, que vem conquistando milhões de leitores em todos os países e já vendeu mais de 1 milhão de exemplares só no Brasil. De capítulo em capítulo, de “lição” em “lição”, o leitor é convidado a percorrer toda a história da filosofia ocidental, ao mesmo tempo que se vê envolvido por um thriller que toma um rumo surpreendente.

Esses são os títulos que me intrigam e fazem parte de um projeto de leitura para a vida. Tem algum livro nessa linha que você já leu e quer indicar para a minha listinha? Fala aqui nos comentários que eu vou adorar conhecer!

Até a próxima!

Ana.

Você irá gostar de ler também:

1 comentário

  1. A Cabana é um livro tão lindo, foi um livro que apareceu na minha vida em uma época certa. Estou louca para ver a adaptação, O mundo de sofia já vi tanta resenha linda por ai, que dá até curiosidade.
    Adorei sua lista, acho que a primeira que vejo : Livros que traz Paz.
    Beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *