Crítica de livro | Todos os abismos convidam para um mergulho

Olá, meu bom leitor.

Hoje trago as minhas impressões sobre o livro “Todos os abismos convidam para um mergulho” da autora nacional Cinthia Kriemler.

O livro conta a história da assistente social Beatriz, uma mulher que se apresenta como um verdadeiro abismo que se engole e ao mesmo tempo se liberta, e novamente, é tragada pelo seu poder de auto sabotagem. No livro conhecemos a história de sua vida, todos os seus traumas e como tudo influencia o rumo que sua vida toma, o desespero, a descoberta e principalmente o caminho da auto aceitação. Não vou contar muito sobre o enredo que a história segue, pois seria um enorme spoiler, o importante para esta história é que você saiba que este livro é um convite a conhecer a verdade que nos rodeia e que não vemos por conta de nossa cegueira seletiva.

Cinthia Kriemler nos mostra o real poder da literatura quando bem feita, bem elaborada e principalmente, feita em sangria. Os mais diferentes casos de vitimas em situações de riscos, casos de pedofilia e tantas outras pessoas que vêem Beatriz como um porto seguro, não sabem que atrás do muro que representa segurança pode haver uma escuridão profunda.

Sem muito para onde fugir, ler “Todos os abismos convidam para um mergulho”, é se deparar com um abismo. Perdoe a repetição do termo abismo, mas quando um livro tão denso quanto este nos coloca frente a frente com várias verdades que tentamos não ver, ficamos repetindo o que nos afeta eternamente até que aquilo se torne mais familiar. Porém a verdade que é apresentada nestas páginas não me deixam falar boqueirão, fundão, precipício, despenhadeiro ou declínio, talvez inferno, mas a verdade sobre a depressão me foi apresentada como um abismo, e é assim que eu a chamarei até entende-la melhor. A depressão é o epicentro de todos os abismos de nossos tempos modernos.

Não tenho o que falar sobre a construção narrativa, é certeira. A ambientação te leva onde é necessário ir, dá vontade de não largar o livro. Todo o livro é narrado a partir do ponto de vista de Beatriz, e pelo fato dela ser uma personagem totalmente bem elaborada, todos os diálogos são brindes e dão maior poder a atração gravitacional do abismo sobre sua vida. Toda construção que a autora se propõe a fazer, ela entrega e superando todas as expectativas.

A edição, como é típica de uma edição da Patuá, está caprichada e super bem diagramada. Não tenho do que reclamar neste aspecto.

O que me deixou inquieto ao final do livro é que, não temos fim, Beatriz segue sua vida quando as páginas terminam. Ao final do livro, o livro acaba, fim da minha leitura, mas não para Beatriz, ela segue viva em seu universo encarnado em abismo. E eu queria mais, minha reclamação não é saber sobre a morte da personagem, isto é apenas um detalhe, minha reclamação aqui é a mesma de quando termino um ótimo livro: querer mais e não ter.

Então, meu caro leitor, não perca tempo e devore “Todos os abismos convidam para um mergulho”, seja corajoso, não tenha medo do empuxo, não tenha medo de pular, não tenha medo de nada, se entregue ao poder da vida de Beatriz e deleite-se com a literatura de Cinthia Kriemler.

Talvez eu tenha sido feita para ser sozinha. Para me sentar aqui na varanda deste apartamento e olhar o parque, os bancos, os balanços, as árvores, os garis, o sorveteiro, as crianças, as babás, as mães, os velhos. Pessoas que não conheço. Que vejo a distância. Que não me sabem, não me julgam. que não irão embora de mim.

Livro: Todos os abismos convidam para um mergulho
Autora: Cinthia Kriemler
Editora: Patuá
Páginas: 269

Capa: 8,50
Continuidade: 9,50
Personagens: 10,00
Cenários: 9,00
História: 9,50
Narrativa: 9,50
Diálogos: 9,50
Revisão: 9,50

Nota Final: 9,37 – Muito Bom!

Tenha um ótimo ponto para ler!

Paulo Souza

Você irá gostar de ler também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *