Crítica de Livro | Mar de Pedras

Olá, leitores!

Hoje venho contar para vocês minha experiência de leitura do livro Mar de Pedras, escrito pelo alagoano instalado em Brasília, Daniel Barros. Esse livro é o terceiro da carreira de Daniel, o primeiro foi O Sorriso da Cachorra e o segundo Enterro sem Defunto. Não sei se vocês lembram, mas aqui no blog já tem crítica de Enterro sem Defunto e também tem dois vídeos no canal que são parte da Leitura Compartilhada que fizemos durante a primeira temporada do Ponto no Youtube (Dica: a crítica não tem spoilers, o vídeo tem vários porque a proposta era comentar a leitura que foi feita em conjunto).

Por indicação do próprio Daniel, que virou um grande amigo, resolvi começar  a conhecer sua escrita por esse romance. Ele disse que seria uma introdução boa porque ele é mais leve que Enterro sem Defunto, que é um livro policial. Seguir essa dica não foi difícil porque como eu acompanhei a leitura do Paulo e a produção dos vídeos do canal eu já sei muitas partes da história do outro livro, essa foi a minha chance de ter contato com a escrita dele sem estar contaminada por outras visões e poder tirar minhas conclusões de forma mais independente. Já aviso que gostei demais do livro, mas antes de comentar os elementos do texto que me encantaram vou falar um pouco da história para vocês se situarem.

O romance conta a história de Henry, um fotógrafo badalado que ganha a vida fazendo fotos de super modelos. O protagonista mora em um povoado de pescadores em Alagoas esquecido pelo mundo e pelo próprio prefeito, que só quer saber de fazer a vida na capital do estado e em Brasília. Esse povoado tem uma rua com mansões de pessoas abastadas que só vão para lá aos fins de semana ou durante as férias de verão. Apesar de ser de uma família rica e ter um bom retorno financeiro através de seu trabalho Henry é um homem simples e não abre mão de morar no povoado, escolha que nenhum dos seus vizinhos entende porque não há nada para se fazer por lá. Desde o início Daniel mostra como o fotógrafo, ao contrário do prefeito, se preocupa com o bem estar das pessoas que moram no povoado e está bem inserido na rotina da região.

As pessoas mais próximas dele são: Seu Antônio, Carolina, Lisbela, Padre Francisco e o delegado. Seu Antônio é um pescador simples e desde que o pai de Henry morreu cuida dele com muito apreço. Carolina é neta de Seu Antônio e é uma espécie de governanta de Henry, ela administra a despensa e a limpeza da casa. Os dois são tratados por Henry como pai e irmã e ele é muito grato aos dois pela forma como cuidaram dele durante todos esses anos. Lisbela é sua cachorra e amiga mais fiel. Padre Francisco é conhecido como sorriso azul porque está sempre disposto a ajudar a quem precisa e oferecer uma palavra de conforto. Seus discursos incitam pensamentos de igualdade e criticam o descaso e a desigualdade na região não agradam o prefeito, que o chama de comunista. Já o delegado é uma mistura de homem da lei com alguém que é subjugado pelos costumes locais de dar privilégios apenas a quem tem dinheiro.

Os quatro personagens retratam personalidades que são muito comuns no interior do Brasil, pessoas boas que vivem em função de uma família, pessoas que se contaminam com o status quo por medo de perderem posição social e pessoas que enxergam como o mundo é injusto e desigual e tentam fazer com que aqueles que são afetados saiam do comodismo e tomem as rédeas da própria vida sem abaixar a cabeça para mandos e desmandos. Se você já assistiu a alguma minissérie da Globo que retrata o interior do país com certeza já viu esses personagens com outros nomes e pode ter certeza que eles existem na vida real.

A cada página vamos conhecendo a rotina de Henry como fotógrafo e em casa até que ele conhece Francesca, uma modelo de 19 anos que mesmo sem perceber vai fazer com que Henry questione a sua forma de se relacionar com as pessoas. Por ser um homem solteiro e desimpedido ele é beeem mulherengo, mas não é extremamente machista e é respeitoso e cooperativo com as mulheres e todos a sua volta. Uma outra personagem marcante é Bruna, a mulher do prefeito que também retrata um perfil muito conhecido que abre mão da felicidade em favor do poder econômico e do prestígio.

O livro tem vários outros personagens interessantes, mas vou fazer mistério para vocês terem o gostinho de conhecê-los um a um e entenderem como eles se inserem na história e no perfil do brasileiro. O mais interessante da história é que apesar de trazer uma narrativa simples e sem grandes reviravoltas o texto é carregado de críticas ao patriarcado que domina a política brasileira. Além do descaso com a população também há críticas a forma como os políticos são eleitos. Como se a política fosse algo hereditário e não um mecanismo permanente de busca do bem estar social das pessoas de determinada localidade. No livro (e na vida real) não é necessário haver plano de governo, basta ser filho de alguém importante ou que já passou pela política local.

Mar de Pedras também denuncia o modo como esses políticos lidam com a concorrência, esmagando e aniquilando qualquer um antes que ganhe adeptos suficientes para serem uma ameaça. É um relato da realidade política brasileira, onde pessoas que passaram a vida morando fora da cidade são eleitas só porque tem sobrenome conhecido na política. Onde as pessoas se contentam com o descaso e agradecem as migalhas entregues como lembrança para que votem novamente no candidato na próxima eleição.

Sei que algumas pessoas se incomodam com a presença de cenas de sexo em livros, então devo alertar que esse romance contém sim alguns momentos bem picantes, mas eles estão completamente inseridos no contexto da história e auxiliam o leitor a compreender facetas da personalidade dos personagens envolvidos no ato. Ao todo são três cenas em um livro com 250 páginas, achei algo super normal por ser um livro adulto e também não acho que a presença do sexo o transforma em um livro erótico justamente porque o foco maior é nas relações humanas e políticas e não no ato sexual em si. É um romance que poder ser lido sem medo por qualquer um que goste de histórias de amor e também vai satisfazer aqueles que gostam de ler obras críticas.

Não é uma história pesada, mas está longe de ser apenas um romance de verão. As críticas são muito claras e mostram uma realidade que nem todos que vivem em capitais enxergam. Para mim, foi um ótimo começo e já não vejo a hora de ler Enterro sem Defunto, que promete entregar uma narrativa bem diferente da que eu conheci em Mar de Pedras, um livro muito bem escrito que você lê bem rapidinho graças a fluidez da história.

Sinopse

No terceiro romance de Daniel Barros, Mar de pedras, é narrada a história de Henry Melo, fotógrafo bastante competente que vive numa vila do interior de Alagoas, e é muito querido pelos habitantes. Como de costume, Barros intercala a narrativa com as aventuras amorosas de Henry, e elas acabam assumindo um papel preponderante no enredo, visto sob vários ângulos.
A exemplo de Alcides, ele se apaixona por uma mulher bem jovem, a modelo Francesca, o que lhe confere uma visão nova de sua existência quando a moça engravida. Como personagem em si, Henry Melo é muito mais desenvolvido e detalhado que André e até mesmo Alcides. Mar de pedras é uma prova de que a ficção de Daniel Barros está em contínuo progresso e desperta interesse maior a cada página.

Livro: Mar de Pedras
Autor: Daniel Barros
Editora: Thesaurus
Páginas: 253

Capa: 9,50
Continuidade: 10,00
Personagens: 9,00
Cenários: 9,50
História: 9,00
Narrativa: 9,50
Diálogos: 9,00
Revisão: 8,50

Nota Final: 9,25 – Muito Bom.

Ana Paula

Você irá gostar de ler também:

40 Comentários

  1. Muito contente com a resenha. Para mim escrever é uma tarefa muito angustiante, até que as criticas comecem a surgir e dê-nos folego. Obrigadíssimo Ana.

  2. Os livros de Daniel costumam nos cativar a atenção, nos conduzindo pelos parágrafos, ávidos para acompanhar as personagens e desfechos.
    Leia e se aprofunde na humanidade das personagens.

    1. Oi Messias!

      Fiquei impressionada com a forma que ele trabalhou os personagens e a trama em poucas páginas. Já quero ler os próximos!

  3. Tenho acompanhado Daniel em todas as suas publicações e acredito que ele é um escritor promissor que deixa bem claro a sua propensão para o amor e as mulheres, características clássicas dos grandes romancistas. Já aguardo ansioso sua próxima obra.

  4. Crítica muito boa! Retrata a perspicácia do autor em abordar, em um romance, um tema sempre atual em nosso país: Política & Poder. Parabéns Daniel!

  5. O Grande Daniel Barros, consegue transformar palavras em vídeos, que você perceber o tempo e distinguir cores. Experimente viajar em sua poltrona de primeira classe, embarque nessa leitura.

  6. Uma obra maravilhosa,que nos deixa agarrados ao livro e que nos faz ler com muita emoção e vontade de ir até o final do livro…Parabéns e recomendo a todos que gostam de um lindo romance.

  7. Li TODOS os livro do DANIEL BARROS. Sou fã, portanto sou suspeito para elogiar sua obras. Mas MAR DE PEDRAS não é apenas um dos melhores livro do DANIEL BARROS é, simplesmente, um dos melhores livros que já vi. História envolvente com final surpreendente. O tipo de livro que realmente conquista qualquer leitor.

    Quanto à crítica feita pelo site (não sei se foi escrita pelo PAULO SOUZA ou pela ANA… rsrsrsrs ) estão de parabéns, conseguiram falar muito do livro sem dar “spoilers” (apesar de que, na sinopse, por um lapso na revisão eu penso, consta um “spoiler” que incomoda: “o que lhe confere uma visão nova de sua existência quando a moça engravida”. Mas este “spoiler” não foi culpa do site, está no livro… rsrsrs). Concordo também com as notas dadas pelo site. Parabéns a todos, ao escritor e aos críticos do site. Um grande abraço. (PS.: estou lançando meu primeiro livro no momento, para conhecê-lo acessem meu site: http://www.juliojose.com.br )

    1. Oi Julio!
      Fui eu, Ana, que escrevi! Tinha esquecido de colocar o nome no fim, mas já ajustei. Obrigada pelo lembrete!
      Também vi o spoiler na orelha e o melhor é que resolvi ler depois que já tinha começado a leitura e era justamente um detalhe da parte que eu estava lendo naquela hora. Mas não prejudicou a leitura, só deu aquele sustinho Hahahaha
      Abraços!

  8. Nossa! Parabéns Daniel, é impressionante como a narrativa dos personagens prendem a nossa atenção e o modo como é expostos a realidade política é sensacional.

    Quem tiver a oportunidade não deixe de ler “MAR DE PEDRAS”

  9. Resenha agradável e muito eficaz sobre o romance MAR DE PEDRAS, que comenta e descreve alguns detalhes da trama sem revelar o final da narrativa. João Carlos Taveira (Brasília, 05/01/2018)

    1. Resenha agradável e muito eficaz sobre o romance MAR DE PEDRAS. O articulista comenta e descreve alguns detalhes da trama sem revelar o final da narrativa. João Carlos Taveira (Brasília, 05/01/2018)

  10. Muito boa a crítica sobre o livro Mar de Pedras d Daniel,sou sua fã. Quem ñ leu os livos dele,ñ perca tempo, leia. Seus livros são tão envolventes q fico sempre na espera do próximo. Parabéns Danil Barros!

  11. Tenho certeza que será um sucesso. Como seus livros já lidos. Parabéns Ana pela resenha e um grande abraco meu amigo Daniel. Show!

  12. Muito boa a crítica e já estou com vontade de ler o livro. Li “Enterro sem defunto” e garanto que Daniel Barros tem muito talento e escreve de uma forma que o leitor não quer parar de ler.

  13. Ana,
    Também li o Mar de Pedras do Daniel Barros e gostei muito. Concordo plenamente com sua crítica.
    A leitura é agradável, a trama envolvente e o final não é previsível.

  14. Crítica bem completa, a história é interessantíssima. Muito orgulho ter na família mais um artista tão talentoso, o que se reflete em suas obras.

  15. No Romance “Mar de Pedras”, mais uma vez Daniel Baŕros, presenteia o leitor com uma saborosa aventura onde mistura romance, politica e sedução. Cada capítulo instiga o próximo. Daí a emoção do desenrolar da história.

    Daniel Barros, de excelente investigador de policia a grande romancista…rompendo barreiras parabéns pela bela obra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *