Ponto de Referência – Daniel Galera

Olá meu bom leitor! Estava com saudades de postar o Ponto de Referência, a vida está uma zona e sempre é aquela correria louca. Mas emfim, hoje eu trago um autor nacional que eu li uma matéria sobre ele a uns meses atrás e resolvi ler, o nome dele é Daniel Galera. Seu primeiro livro foi “Até o dia em que o cão morreu” de 2007. Leiam só a sinopse: Depois de alugar um apartamento vazio no centro de Porto Alegre, um homem de cerca de 25 anos gasta os dias olhando a cidade pela janela, bebendo cerveja e caminhando pela […]

Continue Reading

Ponto de Referência – Ana Paula Maia

Olá meu bom leitor. Senti muitas saudades de vocês, passei duas semanas meio desanimado para postar algo e travado para escrever =/ Mas na última sexta-feira ouvindo Chico Buarque, especialmente a música Roda Viva a minha inspiração voltou como uma onda que me arrebatou e escrevi 18 páginas de um livro que estou escrevendo. E voltando a vida normal trago um trecho do livro A Guerra dos Bastardos da Ana Paula Maia, uma escritora que tive o prazer de conhecer na última bienal daqui de Brasília, ela é uma revelação e faz muito sucesso na Europa. Que tal divulgarmos mais […]

Continue Reading

Ponto de Referência – Lewis Carroll

Olá meu bom leitor. Hoje o nosso Ponto de Referência será sobre um autor que eu particularmente aprendi a gostar, estou falando de Lewis Carroll autor do clássico Alice no País das Maravilhas. Ainda mais que estamos no mês do aniversário da publicação do livro, ele foi lançado em 04 de julho de 1865, ou seja, já completamos 150 anos desde que um coelho branco eternamente atrasado levou uma garotinha para o país repleto de maravilhas únicas. E para comemorar vou trazer três trechos do livro dele que abriram horizontes. “Aonde fica a saída?”, Perguntou Alice ao gato que ria. […]

Continue Reading

Ponto de Referência – Luiz Vaz de Camões

Olá meu bom leitor, Hoje trago um trecho do texto Os Lusíadas de Luiz Vaz de Camões. Eu li a muito tempo e tenho que ser sincero que quase não entendi nada, mas Camões está na minha lista de mil livros para ler. — “Amor é fogo que arde sem se ver; É ferida que dói, e não se sente; É um contentamento descontente; É dor que desatina sem doer. É um não querer mais que bem querer; É um andar solitário entre a gente; É nunca contentar-se de contente; É um cuidar que se ganha em se perder. É […]

Continue Reading

Ponto de Referência – Aluísio de Azevedo

Olá meu bom leitor. Hoje no nosso Ponto de Referência trago o trecho de um dos livros que eu mais gosto, é sério, este livro foi o culpado por eu ter escrito o conto Despertar. — Demônios “Que horas seriam?… Se eu ouvisse algum relógio da vizinhança!… Ouvir?… Mas se em torno de mim tudo parecia entorpecido e morto?… E veio-me a dúvida de que eu tivesse perdido a faculdade de ouvir durante aquele maldito sono de tantas horas; fulminado por esta idéia, precipitei-me sobre o tímpano da mesa e vibrei-o com toda a força. O som fez-se, porém, abafado […]

Continue Reading

Ponto de Referência – João Guimarães Rosa

Olá meu bom leitor. Hoje venho trazer um trecho de um livro do autor nacional que eu só li no ensino médio e que deste então morro de vontade de ler outros livros dele, ele é o grande João Guimarães Rosa. O livro em questão é o Grande Sertão Veredas. — “O que não é Deus, é estado de demônio. Deus existe mesmo quando não há. Mas o demônio não precisa existir para haver – a gente sabendo que ele não existe, aí é que ele toma conta de tudo”. João Guimarães Rosa – Grande Sertão Veredas Tenha um ótimo […]

Continue Reading

Ponto de Referência – Pablo Neruda

Olá meu bom leitor. Sim eu sei, estamos a mais de duas semanas sem praticamente nenhuma postagem, mas tenho um bom motivo por isto ter acontecido… Eu casei! Isso mesmo, sou um homem de família agora XD E para voltar com tudo com o blog e aproveitar o meu momento mais romântico, o Ponto de Referência desta semana será com um poema que eu particularmente gosto muito do Neruda e que será dedicado ao meu amor. — “Quero apenas cinco coisas.. Primeiro é o amor sem fim A segunda é ver o outono A terceira é o grave inverno Em […]

Continue Reading